ABC do Video Game

Achei que seria um bom ponto de partida iniciar este blog, cujo intuito é falar sobre video games (esqueça lançamentos e a indústria AAA, o negócio é video games em geral), esclarecendo alguns termos, jargões e gírias do universo gamer (se você entrou aqui, provavelmente conhece a maioria). Nem tudo estará aqui, claro, mas o que considero mais importante. De “a” a “z”, pra facilitar:

solsticeboots2.5D: podem se referir a games 2D com gráficos poligonais 3D, commumente plataforma e luta, como New Super Mario Bros. Wii e Ultra Street Fighter IV. Em oposto, também pode se referir a games 3D que fazem uso de sprites, como Wolfenstein 3D e Doom. Por último (mas raramente), podem se referir a games com perspectiva isométrica, como Solstice e Diablo.

AAA: refere-se às grandes distribuidoras e developers, com muito dinheiro para gastar em produção, distribuição e propaganda.

Abandonware: é difícil de definir e está em um meio termo entre pirataria e propriedade legal. Games “classificados” como abandonware são aqueles que foram descartados ou esquecidos por seus criadores e, por não ter como adquiri-los em lojas, muita gente (inclusive que condena pirataria) não vê problemas morais ou legais em distribuir estes jogos antigos na internet, com o intuito de mantê-los vivos – esta opinião é diferente da “lei”, que frequentemente ataca sites que distribuem abandonware, como o House of the Underdogs.

Action: como quase todo video game envolve ação, ter um gênero chamado Action parece besteira.

Adventure: qualquer jogo com elementos de exploração e coleta de ítens. O termo é, muitas vezes, mal usado nas propagandas, como por exemplo quando anunciam jogos de plataforma como adventure.

Aggro: chamar a atenção de um inimigo, normalmente controlado pelo computador, fazendo com que ele foque o ataque em você. Um jogador que “agra” recebe o ataque (e normalmente danos) para que seus aliados tenham chance de atacar o inimigo por trás, ou então usa esta estratégia para atrair o inimigo para longe de um grupo e combater com mais facilidade.

AI: Inteligência Artificial. Nos video games, é usada para simular inteligência e comportamento humanos, primariamente em personagens não-jogáveis (NPCs).

Beat’em Up (ou Brawler): um dos meus gêneros favoritos, popularmente conhecido como “briga de rua”, consiste em games 2D ou 3D no qual o jogador controla um personagem que vai avançando em fases lutando contra uma horda de inimigos, normalmente chegando a uma luta contra o “chefe”. O Beat’em Up é diferente dos jogos de luta devido à participação de inimigos de “menor importância”. Bons exemplos são Double Dragon, Cadillacs and Dinosaurs e o jogo do Scott Pilgrim vs the World.

Bit: a menor unidade na computação. Você com certeza conhece este termo por causa das gerações 8 bit (3ª geração, com NES e Master System) e 16 bit (4ª geração, com SNES e Mega Drive).

Boss: é o inimigo mais forte daquela fase ou jogo, o “chefe” da fase. A primeira luta contra o chefe em um video game foi no jogo GORF, de 1981.

Boss Run: consiste de combater todos os chefes do jogo em sequência. Normalmente, boss runs aparecem na última fase do jogo, às vezes antes do chefe final.

Bug: um erro de programação não-intencional.

Radiant Silvergun
Radiant Silvergun

Bullet Hell: uma subdivisão do gênero Shoot’em Up, ou apelido para shmups muito difíceis, com número excessivo de inimigos e tiros. Estes jogos são, em sua grande maioria, orientais, como Radiant SilvergunDoDonPachi Resurrection.

Casual: jogos que requerem pouca habilidade ou esforço. A imensa maioria dos jogos de celular são casuais, muito populares entre mães e crianças.

Combo: série de movimentos feitos em sequência sem interrupção. São normalmente relacionados a jogos de luta, mas pode existir em qualquer tipo de jogo em que movimentos possam ser feitos rapidamente em seqüência.

Demake de Uncharted 3: Drake's Deception
Demake de Uncharted 3: Drake’s Deception

Demake: embora tipicamente os remakes busquem trazer games para tecnologias mais modernas, o crescente interesse do público por games antigos criou uma nova tendência, a dos “demakes”, que são versões de games atuais adaptadas para plataformas antigas. Um bom exemplo é o jogo Super Smash Land, um demake no estilo Gameboy do Super Smash Bros.

Demo: uma versão grátis ou incompleta de um game, distribuído como forma de divulgação.

DLC, Downloadable Content: a última moda na indústria dos games, os DLCs são conteúdo que vão de porcarias como fundos de tela ou roupas pro personagem a até novas fases e objetivos. Normalmente é cobrado um pequeno valor pelos DLCs, que rendem bom dinheiro para os desenvolvedores (imagine 1 milhão de downloads de um DLC que custe 1 dólar). O uso de DLCs nos games é tema de controvérsia, principalmente quando o jogador paga por conteúdo que já estava no disco do jogo, porém bloqueado.

Dummy: conteúdo que foi removido da versão final, mas não foi removido dos arquivos do jogo. Exemplos podem incluir personagens, fases e ítens, que só podem ser acessados com algum tipo de crack. O site The Cutting Room Floor é dedicado a dummies.

Easter Egg: conteúdo escondido no game, normalmente humorístico e sem efeito no gameplay. A maioria é apenas referências da cultura pop. A internet está cheia de sites dedicados a este tipo de conteúdo.

Engine: um sistema projetado para criação e desenvolvimento de video games. Uma engine pode ser reutilizada em sequências e mods e, como está na moda ultimamente, usada para mostrar a sua capacidade em jogos já consagrados.

Escort Mission: objetivo em um jogo no qual o jogador deve escoltar um personagem NPC (normalmente mais fraco) através de uma fase e defendê-lo de armadilhas e inimigos. Notoriamente desfavorável com a maioria dos gamers, já que na maior parte dos casos a AI do personagem não é capaz de antecipar as ações do jogador e acaba atrapalhando o gameplay. Ótimos exemplos de boas escort missions são Resident Evil 4 e, sendo mais abrangente, Last of Us.

sfiiken
Street Fighter II

Fighting: simplesmente jogo de luta. O gênero se resume a personagens lutando sem distrações como obstáculos ou inimigos de menor importância. Exemplos incluem Street Fighter, Mortal Kombat e Soul Calibur.

FPS, First Person Shooter: jogo de tiro em primeira pessoa, como Doom e Call of Duty.

Hack and Slash: um subgênero do beat’em up, mas com armas ao invés de socos e chutes, como God of War.

Homebrew: jogos de video game feitos em casa ou aplicações para consoles proprietários. Em casos, envolve modificação de hardware ou quebra de proteção contra cópias, levando à pirataria.

Indie: produzido independentemente. Infelizmente, muitas developers se classificam como indies para criar uma ligação com o jogador, no quesito “se livrar das amarras da indústria”, significando que têm mais liberdade de criação e experimentação, o que nem sempre é verdade. Em sua maioria, os games indie são inspirados nos platformers dos anos 1980, apelando para a nostalgia como forma genuína de chamar a atenção. No entanto, poucos destes jogos possuem o desafio dos games em que se inspiram.

Lag: quando o game fica atrasado, normalmente devido à conexão ruim de internet ou computador com pouca potência.

LAN, Local Area Network: processo de conectar diversos computadores via cabo para garantir conexão sem lag. Aqui no Brasil, as LAN Houses eram muito comuns na década de 2000, inclusive promovendo campeonatos e “corujões”, quando os jogadores passavam a noite toda jogando.

Load Bearing Boss: existe para adicionar tensão ao final de um jogo, assim que o chefe é derrotado, Por exemplo, quando o castelo de Ganon desmorona e o jogador precisa fugir em Ocarina of Time; ou quando Fox precisa escapar da explosão do chefe Andross em Star Fox 64.

Miniboss: um inimigo (que normalmente aparece na metade de uma fase) mais forte do que os oponentes comuns mas não tanto quanto o chefe.

MMORPG, Massive Multiplayer Online Role-Playing Game: jogos com mecânica RPG em um gigante mundo online cheio de bots e outros jogadores. Um dos gêneros mais populares, cujo maior expoente é, sem dúvida, World of Warcraft. Outros exemplos incluem Everquest e Ultima Online.

MOBA, Multiplayer Online Battle Arena: começando com Warcraft e Starcraft, os primeiros MOBAs combinavam aspectos de estratégia e elementos de RPG.

Mod, Modification: fãs de um jogo ou engine fazem modificações para criar novos jogos na mesma base. Um dos maiores exemplos de mod é Counter-Strike, criado com base em Half-Life.

NPC, Non-playable character: personagem controlado no game por computador.

palette-swap-mk
Palette swap nos personagens de Mortal Kombat

Palette Swap: processo pelo qual as cores de um sprite são trocadas mas a arte básica e contorno continuam os mesmos. Exemplos de palette swap são os personagens Mario e Luigi em Mario Bros. e os lutadores Sub-Zero, Scorpion, Ermac, Reptile, Noob Saibot, Rain, Chameleon e Smoke, de Mortal Kombat.

Platformer: um jogo de ação 2D ou 3D cujo foco é passar pelas fases pulando em várias plataformas e vencendo obstáculos. O jogo de plataforma, por excelência, é Super Mario Bros., de 1985, apesar de haver exemplos mais antigos, como Pitfall, de 1982.

Full Throttle (1995), clássico point and click da Lucas Arts

Point and Click: um termo mais específico para games de aventura cujo foco está no jogador resolver puzzles e usar itens em uma configuração específica. Talvez a maior developer deste gênero na história dos games seja a Lucas Arts, com clássicos como Grim Fandango.

On-Rails Shooter: um game em primeira ou terceira pessoa no qual o jogador se move automaticamente pela fase enquanto atira em inimigos e obstáculos. Exemplos incluem Time Crisis e Star Fox.

Remake: é uma versão modernizada de um game antigo e adaptada para novas tecnologias e público. Tipicamente um remake possui a mesma história e gameplay do jogo em que foi baseado, mas com gráficos melhorados, por exemplo Pokémon Red (Gameboy, 1996) e Pokémon FireRed (Gameboy Advance, 2004).

RTS, Real Time Strategy: jogos de estratégia em tempo real, como Starcraft.

Shoot’em Up: gênero em que o jogador controla um personagem ou nave e atira nos inimigos. O gênero, hoje considerado nicho, popularizou-se com Space Invaders.

Sprite: gráfico 2D usado para representar personagens e peças de cenário sobre um fundo. A grande maioria dos jogos usavam sprites, até que a tecnologia tornou possível o uso de modelos 3D.

TPS, Third Person Shooter: o mesmo que FPS, porém a câmera fica posicionada sobre os ombros do personagem (e não em seus olhos), como em Tomb Raider, Metal Gear Solid e Gears of War.

Flávio

Me formei na faculdade de Design em 2007, sou apaixonado pela minha profissão, por rock'n'roll, cozinhar, jogar video game, por Star Wars e hamburger. Colaborador do Greenpeace e Médicos Sem Fronteiras.

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s