Como os games de terror tentavam nos assustar nos anos 80

Outubro é o mês das bruxas e, como todo ano, época de lançamento de filmes (e alguns games) feitos pra congelar a espinha da galera. Agora não me vem à cabeça nenhum jogo de terror que sai este mês, mas já sabemos que a oferta será interessante num futuro próximo, com o apavorante Silent Hills e o recém lançado Fatal Frame: Oracle of the Sodden Raven que deve vir para o ocidente.

Mas sabe como é que os jogos de terror tentavam nos assustar nos anos dourados dos games – os anos 80? Se você tem idade suficiente vai lembrar de alguns exemplos mas, se perdeu aquela época, talvez tenha interesse em conhecer alguns dos games clássicos de terror e como os desenvolvedores tinham que usar a criatividade e inventar maneiras de meter medo – algumas, claro, funcionavam melhor que outras.

Haunted House (Atari 2600, 1982)

cartucho-haunted-house-atariCom uma arte de capa incrível (que ilustra este post), Haunted House é um dos primeiros games de terror – se não o primeiro. Preso em uma mansão mal-assombrada, você precisa encontrar 3 peças de um baú enfeitiçado e fugir, evitando os ataques de morcegos, aranhas e o fantasma do dono da mansão.

O jogo quer assustar da seguinte maneira: não só o personagem é representado por nada mais que um par de olhos mas, a trilha sonora é estranhamente minimalista e os cômodos da mansão são todos idênticos, fazendo o jogador se perder em um labirinto e torcer para encontrar a saída.

Alien (ZX Spectrum, 1984)

Assim como o recém lançado Alien: Isolation, neste game você precisa cumprir missões sem que o xenomorfo (alien) te capture: expulsa-lo da Nostromo ou escapar com uma das naves de fuga (sem esquecer de levar o gato Jones, assim como no filme). Só que, diferente do Alien: Isolation que tem gráficos lindos responsáveis pela ambientação, o antigo game Alien é uma espécie de jogo de estratégia 8-bit, que consegue manter a tensão e o suspense com abordagens diferentes (já que o visual era limitado).

Os personagens que você controla – que são os mesmos do filme – às vezes irão se recusar a obedecer um comando se estiverem apavorados. Um dos personagens é um andróide infiltrado cujo trabalho é proteger o xenomorfo. O gato Jones gosta de alguns personagens mas não de outros (no filme ele foi responsável pela morte de Brett). E como se não bastasse, o xenomorfo está em algum lugar da nave, esperando para atacar…

Go to Hell (ZX Spectrum, 1985)

Indo parar no inferno, o jogador precisa se aventurar por uma rede de cavernas macabras e encontrar as sete cruzes que o levarão para casa. Apesar de ser um jogo simples, Go to Hell é cheio de imagens grotescas: cadáveres, crânios sendo serrados, cabeças sendo esmagadas por pregos, rios de sangue e tridentes que dão o tom de terror do game. Pena que tudo é tão colorido que acaba sendo mais cômico do que assustador, mas ainda assim é legal.

Castlevania (NES, 1987)

Clássico inegável, Castlevania é peça essencial em qualquer coleção/lista de games com temática de terror. Nele o jogador precisa eliminar a raça dos vampiros até encontrar o vilão Alucard, passando por florestas e castelos cheios de monstros.

Embora este game não tenha nenhum elemento que tenha a intenção de assustar ou deixar tenso o jogador – apesar de a arte de capa ser meio macabra – ele busca inspiração na cultura popular, com referências ao Corcunda e ao monstro de Frankenstein, na mitologia grega com a Medusa e até a própria Morte aparece para enfrentar o personagem Simon Belmont. Além disto, ele é considerado um dos jogos mais difíceis de todos os tempos e, se isso não é apavorante, então não sei o que é!

Splatterhouse (Arcade, 1988)

Minha série favorita de filmes de terror é Friday the 13th, no entanto Splatterhouse não conta a história de Jason Voorhees, muito embora o personagem principal, Rick, seja claramente inspirado no serial killer dos cinemas. Mais conhecida pelos clássicos Pac-Man e Galaga, a japonesa Namco lançou este beat’em up de terror que, apesar de ter mais ação, também garantia uns sustos nos jogadores mais desavisados.

Friday The 13th (NES, 1989)

Agora sim, o jogo se passa no universo do assassino Jason, porém você só pode jogar com os adolescentes monitores de acampamento. O jogo é plataforma side-scrolling simples, em que você se aventura pelo acampamento Crystal Lake eliminando mortos-vivos, coletando itens e armas para matar Jason Voorhees.

Talvez o mais assustador neste jogo é que ele foi publicado pela LJN, publisher americana que, no final dos anos 1980, licenciou uma porrada de games baseados em filmes – todos, dizem as más línguas, péssimos –  como Jaws, Back To The Future e Karate Kid.

Sweet Home (Famicom, 1989)

Conhecido como o pai da série Resident Evil – e do gênero survival horror em geral – Sweet Home, da japonesa Capcom, é uma adaptação do filme homônimo. No game os personagens (todos controláveis, sendo possível alternar entre eles) precisam encontrar a saída de uma mansão assombrada que está a ponto de desabar. Ele é um dos primeiros jogos a usar a mecânica para deixar o jogador nervoso, com munição escassa, inventário limitado e personagens que, se morrem, não voltam mais.

Ao invés de dar sustos no jogador, Sweet Home vai gradualmente aumentando a tensão e gerando um incômodo claustrofóbico. Pode parecer um jogo básico para os padrões de hoje, mas veja como o gênero evoluiu desde Haunted House até do final da década, pavimentando o caminho para uma nova geração de games de terror que estaria por vir.

Flávio

Me formei na faculdade de Design em 2007, sou apaixonado pela minha profissão, por rock'n'roll, cozinhar, jogar video game, por Star Wars e hamburger. Colaborador do Greenpeace e Médicos Sem Fronteiras.

2 respostas para ‘Como os games de terror tentavam nos assustar nos anos 80

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s