Real Racing 3 satisfaz minha necessidade por velocidade

Eu gosto de jogos de corrida… mas não tanto quanto eu gostava quando era criança. A culpa não é minha, posso te garantir, a culpa são dos próprios jogos de corrida. Já fazia pelo menos uns 10 anos que eu não me interessava por nenhum deles, porque não acho tão divertidos, porque perdem o foco ou porque são complicados demais, enfim… existem diversas razões pelas quais eu não gostava de nenhum deles, até que um belo dia encontrei Real Racing 3.

O clássico Top Gear
O clássico Top Gear

Antes que eu seja crucificado, vamos a um fato: meus jogos de corrida favoritos são – em ordem de lançamento – Enduro (Activision, 1983), OutRun (Sega, 1987), F-Zero (Nintendo, 1990), Top Gear (Kemco, 1992), Mario Kart (Nintendo, 1992-2014),  Rock’n’Roll Racing (Blizzard, 1993), Biker Mice from Mars (Konami, 1994), Uniracers (DMA Design, 1994), Need for Speed: Porsche Unleashed (EA, 2000) e NFS: Underground 2 (EA, 2004). Acho que com esta lista já deu pra entender bem qual é o meu estilo de corrida.

Durante anos experimentei um monte de jogos de diferentes estilos – de Burnout a Gran Turismo, e sempre tive um certo apreço pela série Need for Speed, até que eles começaram a viajar nessa parada de tuning, drift, roteiros de merda (inspirados na merda que é Velozes e Furiosos) e brincadeiras de polícia e ladrão. Aí acabou que eu não curtia mais nada que jogava e, caramba, eu queria muito gostar de uma corrida com Ferrari e Lamborghini em vez de só cogumelos e alienígenas! Mas que também fosse mais dinâmico e descomplicado, que eu não precisasse tirar carteira de motorista ou entender de mecânica pra jogar (né, Gran Turismo?).

real-racing-2

Finalmente encontrei meu jogo!

Embora mobile não seja meu ambiente favorito, eu também já tinha testado uns jogos de corrida no iPhone e acho uma merda ficar com os dedos na tela pra acelerar e frear, enquanto balanço o celular pra fazer curvas. Mas lá no meio de 2013, sem compromisso, eu baixei o Real Racing 3 (EA, 2013) – que era de graça e por isso eu não ia perder nada – e me surpreendi porque o jogo faz tudo certo!

A princípio, uma das coisas que eu mais gostei é que o carro acelera sozinho. Só isso já é uma bênção porque elimina a necessidade de manter o dedão constantemente na tela. Por padrão, o carro também freia sozinho, o que é bom no começo porque também elimina outro dedo da tela, além de dar uma noção de como frear nas horas certas e tal, mas conforme as competições vão evoluindo isto se torna um problema, então desliguei a opção. Tombar o celular para fazer curva, em Real Racing 3, é muito confortável, porque o jogo compensa a inclinação tombando a tela na direção oposta, mantendo a imagem sempre horizontal – característica que eu não tinha encontrado em nenhum outro game mobile de corrida – além de dar um auxílio nas curvas, permitindo que mesmo as curvas mais fechadas sejam feitas tombando muito pouco o smartphone.

Outra coisa que me chamou a atenção foi a qualidade dos gráficos. Na época eu tinha um iPhone 4 e como este jogo é lindo! Texturas detalhadas, bons efeitos de iluminação, brilhos e reflexos, tudo rodando liso. Hoje, com um iPhone 5S, me admiram ainda mais os gráficos, que fazem uma bela diferença em relação ao outro aparelho. É impressionante o que um computador de bolso é capaz de fazer! Eu concordo que em poucos anos os smartphones poderão ultrapassar os consoles (entenda aqui), mas ainda assim me impressiona os gráficos que o aparelhinho consegue gerar.

Quanto ao desafio, Real Racing 3 também acerta em cheio. O jogo oferece uma dificuldade razoável, suficiente para não prender o jogador por muito tempo na mesma corrida, mas que força-o a administrar bem o dinheiro com compra e atualização dos carros para que consiga vencer corridas mais competitivas. Além disso, o jogo é bastante extenso em conteúdo, e atualizado com mais carros e competições regularmente.

Por isso, o progresso no jogo é lento (principalmente considerando que os carros ficam horas reais na manutenção) mas considero isso um ponto positivo, porque posso jogar partidas rápidas de uns 20 minutos, e tenho jogado praticamente todos os dias a mais de 1 ano, seja no caminho do trabalho ou antes de dormir. Dos jogos de corrida modernos, Real Racing 3 tem se mostrado meu favorito e recomendo a qualquer um que esteja buscando um bom jogo de corrida, mesmo sendo mobile.

Flávio

Me formei na faculdade de Design em 2007, sou apaixonado pela minha profissão, por rock'n'roll, cozinhar, jogar video game, por Star Wars e hamburger. Colaborador do Greenpeace e Médicos Sem Fronteiras.

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s