Amiibo é o melhor “bichinho virtual”!

Foi agora no começo de 2015 que eu finalmente comprei alguns amiibo*, os bonequinhos da Nintendo pra você usar em jogos como Super Smash Bros., Mario Kart 8 e – em breve – Mario Party 10, para citar alguns. Eles são um pouco difíceis de encontrar no Brasil e alguns já são raros ao redor do mundo, então tratei de garantir o Link, a Samus e o Fox – meus personagens favoritos de todas as franquias da Big N.

Desde então tenho treinado os personagens no Super Smash Bros., acompanhando algumas dicas na internet, às vezes apagando os dados e reiniciando o treinamento e tentando entender melhor como eles funcionam dentro do game. Com base na experiência que estou tendo, posso dizer que os amiibo são os melhores “bichinhos virtuais” que já tive!

Pra começo de conversa, porque eles criam uma ponte entre o mundo físico e o digital. Diferente de lutar contra um simples CPU, você está interagindo com a representação digital de uma figura que você pode segurar na mão, que adiciona uma nova dimensão ao jogo; você pode treinar seu amiibo, leva-lo à casa de um colega e coloca-lo para lutar contra vocês ou o amiibo dele. Segundo, porque são personagens que eu gosto muito, figuras que fizeram parte da minha infância e que ainda me acompanham, e não um boneco qualquer como em Skylanders. Por fim porque, depois de um bocado de treino, eles começam a dar um pau nas lutas!

IMG_4874

Meus três amiibo Link, Samus e Fox já alcançaram o nível 50 – o máximo possível – e é interessante ver como eles aprenderam algumas das manhas que eu uso com cada personagem mas, principalmente, como se adaptam ao estilo de jogo de qualquer um que eles enfrentem. Se você joga mais na defensiva, eles tentam te acertar com tiros à distância; se você ataca com agressividade, eles se defendem e desviam com precisão cirúrgica, punindo qualquer erro com um up smash ou um agarrão.

O primeiro amiibo que comecei a treinar foi Link, simplesmente pelo fato de que é o personagem com quem jogo melhor em Super Smash Bros. Como eu não tinha experimentado nenhum amiibo, fui atrás de algumas dicas na internet, que me deram uma base. Como os amiibo são relativamente novos, não posso dizer com certeza que estas dicas são funcionais e, por serem muito abrangentes, eu sempre mudava um ou outro passo para conseguir um resultado mais focado no meu estilo de jogo.

Níveis 1 a 10: fundamentos das lutas

A sugestão da internet é treinar um novo amiibo é jogá-lo logo de cara em uma luta 1×1 contra um CPU balanceado, como Mario ou Fox, mas de nível 9. Mas por que CPUs, e não eu próprio? Porque, em teoria, sendo humano eu tenho meus vícios de jogo e cometo erros, então colocar o amiibo contra um CPU garante que ele vá aprender o básico com lutadores livres de “problemas”. Eu preferi colocar meu Link para lutar contra 3 CPUs também com Link. Vale lembrar que os CPUs não serão capazes de ensinar nada além dos fundamentos da pancadaria, mas já quebra um galho legal. Além disso, desliguei todos os ítens, para que as lutas fossem somente no braço.

Níveis 11 a 20: mirror matching

Meu amiibo já aprendeu a lutar, agora é hora de me enfrentar. Eu estava treinando um amiibo Link, então durante todo esse processo eu também usei um Link – isto é mirror matching. Como um amiibo novo tende a copiar os seus usos de botão (se eu uso muito o A, ele começa a usar o A), meu Link deveria, na teoria, copiar os golpes corretos. Os CPUs que eu coloquei contra meu amiibo nos níveis 1 a 10 também eram Link (ou seja, fiz mirror matching desde o início), mas agora era a hora de ensinar algumas manhas ao boneco, principalmente como ele deve se comportar numa luta “mais real”.

Como eu tenho um estilo de jogo mais agressivo, achei importante partir pra cima do meu amiibo sem dó, pra ele aprender a partir pra porrada. Como ele é novo, também é mais suscetível a aprender coisas erradas, como golpes usados na hora errada ou move-spamming, que é usar o mesmo golpe repetidas vezes. Então você tem que tentar evitar estes erros pra não ensina-los ao amiibo. Inclusive, uma boa dica é baixar o launch rate, pra você conseguir ensinar mais combos sem ter que ficar correndo atrás do personagem o tempo todo.

dodge

Níveis 21 a 30: variando os estilos

Nos primeiros 20 níveis o meu Link aprendeu como lutar como um Link, então dali pra frente ele precisava aprender a lutar contra outros personagens e seus variados estilos. Como eu jogo melhor com o próprio Link, continuei usando ele, mas os outros 2 CPUs eu variava bastante, trocando por personagens que atuam mais no ar, ou no chão, ou que atacam à distância, etc. Também busquei variar o máximo de arenas pra tentar ensina-lo combates desde plataformas simples como Final Destination até as mais complexas. Em resumo, o objetivo é colocar o amiibo para encarar todos os cenários possíveis.

Níveis 31 a 50: repetição, repetição, repetição

Já na metade do nível 30 o amiibo deve se garantir com facilidade contra CPUs nível 9 e provavelmente te dar uma canseira. Comece a usar ítens também, mas não vicie o amiibo a usa-los. O ideal é ir repetindo o passo anterior, prestando atenção nos erros que o amiibo comete e se ele está usando as manhas que você ensinou – e tentar corrigir os detalhes em lutas 1×1.

Os passos que eu comentei anteriormente foram minha experiência seguindo um método básico encontrado na internet, mas mudando algumas coisas como mirror matching desde o nível 1, lutas contra 3 CPUs em vez de mano-a-mano, desligar os ítens, etc. Mas os verdadeiros toques pessoais vieram depois que cheguei com Link até o nível 36. Pra começo de conversa, eu simplesmente parei de treina-lo e fui começar com a Samus, seguindo novamente os passos comentados, embora de novo mudasse um ou outro detalhe. Com ela, fui somente até o nível 30.

O Fox já foi bem mais interessante porque, diferente dos outros dois amiibo que eu treinei da maneira como descrevi anteriormente, com ele eu quis mudar completamente a estratégia, e o Fox foi treinado desde o nível 1 contra dois jogadores humanos (eu e meu primo) e um CPU nível 9 atacando o mais agressivamente possível, e isso refletiu na sua “personalidade”. O que eu queria conseguir de agressividade com Link e Samus, eu acabei conseguindo com o Fox.

Ensinando meu estilo de jogo ao amiibo

Como meu primo estava com paciência pra ajudar a treinar o Fox, fui indicando o que eu queria fazer. Como eu comentei, desde o nível 1 ele foi treinado contra dois jogadores humanos e um CPU nível 9, só que desta vez alteramos nosso handicap para 100% (o do amiibo continuou em 0%), pra fazer o Fox ter mais confiança e vontade de atacar.

Desta vez fizemos mirror matching até o nível 35. A ideia era que o amiibo Fox tivesse mais tempo de contato com o próprio personagem e aprendesse o máximo possível das manhas e variações de combo! Além disso, a partir do nível 20 a gente começou a fazer team battle, colocando eu, meu primo e o CPU juntos contra o amiibo solitário – assim todos os esforços seriam colocados contra ele e o ensinaria a lidar com grande pressão. Isto deu ao Fox uma capacidade de defesa que, até então, eu também não tinha conseguido com o Link ou a Samus.

IMG_4882

Também começamos a usar ítens mais tarde do que com os outros dois amiibo, depois do nível 40. A intenção era fazer com que o Fox focasse suas habilidades na luta corpo a corpo e evitar que ele viciasse em usar os ítens que caem na arena – eu decidi por fazer desta forma porque sou fã de lutas sem ítens. A esta altura já estava praticamente impossível ganhar do Fox, mesmo em combates 3×1, então pensei em sacanear e comecei a usar o taunt cada vez que arremessava o amiibo pra fora da arena, na esperança de ele também começar a “tirar uma onda” dos inimigos, embora ele pareça ter boas maneiras, porque não me lembro dele usar taunt… talvez isso não dê pra ensinar, sei lá.

Depois de alcançar o nível 50 com o Fox, voltei a treinar o Link e a Samus (níveis 36 e 30, respectivamente). Eu já estava com um conceito diferente de treino graças ao trabalho com o Fox, então tratei de tentar deixar os outros dois amiibo mais agressivos, subindo o nível deles em combates 3×1 (nós com handicap 150% e os amiibo com 0%) somente em arenas omega (Ω), ou seja, sem nenhuma distração.

Mesmo depois de alcançar o nível 50, os bonecos amiibo continuam aprendendo com o jogador, então ainda dá para corrigir defeitos que não foram corrigidos ao longo de todo o treinamento**. Se você já não fez isso antes, é hora de colocar o amiibo para lutar em todas as arenas (várias vezes, se possível) e contra cada um dos 49 personagens, para que ele possa se adaptar às mais variadas situações.

Ah, vale comentar que os golpes dos amiibo tiram mais danos do que jogadores (e CPUs) comuns, mesmo que você não tenha dado nenhum equipamento a eles. Esperei até alcançar o nível 50 com todos meus amiibo antes de começar a equipa-los, mas você pode fazer isso com regularidade. Ainda não entendi muito bem como funcionam os equipamentos, por isso deixei para usar depois, mas encontrei um texto bacana que explica melhor, neste link.

Eu adoro os amiibo!

Uma das minhas coisas favoritas sobre os amiibo é que, de certa forma, eles sempre pertenceram ao Super Smash Bros. Se você se lembra, logo na introdução do Super Smash Bros. pro Nintendo 64 (1999), uma mão puxava um boneco do Mario de dentro de um baú e o colocava em uma mesa com um boneco do Pikachu, a mesa se transformava em uma arena e os bonecos ganhavam vida, então é interessante ver esta cena finalmente se manifestar na vida real.

Além disso, é legal ver os personagens imitarem o seu estilo de luta (isso é mais perceptível nos níveis mais baixos), como meu Link que aprendeu a usar up smash + pulo + golpe para cima, para isolar o inimigo em arenas com margem superior mais baixa; ou a Samus que aprendeu a carregar o canhão logo que a partida começa.

É divertido interagir com os amiibo, eles têm um appeal para o fã que os outros bonecos com NFC não têm, seja pelo carisma inegável ou pela nostalgia. Também são ótimos colecionáveis, embora eu não pretenda ir muito além destes três… afinal de contas eles ainda custam um pouco caro por aqui. De qualquer maneira, se você gosta dos personagens da Nintendo e, principalmente, quer experimentar um novo gameplay, recomendo que arrume um amiibo. E jogue Super Smash Bros.

IMG_4881

*Acho necessário deixar bem claro que a marca Amiibo se refere a um protocolo de comunicação wireless e armazenamento de dados desenvolvido pela Nintendo. Os bonequinhos são “Amiibo-enabled”, isto é, figuras habilitadas para se comunicar com o protocolo Amiibo através da tecnologia NFC (Near Field Communication). Mas nós chamamos os próprios bonecos de amiibo porque é mais fácil assim. 🙂

** Encontrei este post interessante no Reddit de um usuário que corrigiu um treinamento malfeito criando arenas personalizadas especificamente para cada problema que o amiibo dele tinha.

Flávio

Me formei na faculdade de Design em 2007, sou apaixonado pela minha profissão, por rock'n'roll, cozinhar, jogar video game, por Star Wars e hamburger. Colaborador do Greenpeace e Médicos Sem Fronteiras.

Uma resposta para “Amiibo é o melhor “bichinho virtual”!

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s