Um dos meus maiores orgulhos quando era pequeno é que, diferente de quase todo mundo, eu tinha o Mew em Pokémon Red (Game Freak, 1998) para Gameboy – sim, o lendário 151º monstrinho, sonho de consumo de qualquer criança que tivesse o console portátil, e impossível de encontrar dentro do próprio jogo de modo convencional, isto é, jogando. Impossível até certo ponto, existem dois meios para conseguir o tão desejado Mew: o meio “legal” e os meios “ilegais”… e o modo que eu o consegui foi algo no meio disso.

Mew

Era o começo de 1999 e o mundo tinha sido tomado pela febre Pokémon. Eu era um dos que jogava todos os dias, junto com um amigo que morava no meu prédio (e tinha a versão Blue), e não demoramos muito para terminar o jogo e conseguir todos os 150 monstrinho disponíveis (diga-se de passagem, só possível com as duas versões do jogo e um cabo Game Link). Como qualquer criança no fim dos anos 90, a gente conhecia o Mew e sabia que provavelmente nunca veríamos um… na época só existia uma única maneira de conseguir o personagem lendário, que era recebendo diretamente da Nintendo em algum evento Pokémon (o meio “legal” que, inclusive, incluía um certificado de autenticidade provando que você de fato recebeu o Mew da própria Nintendo), mas estes eventos só aconteciam nos Estados Unidos, Europa e Japão, claro.

Um certo dia eu estava na Cultura Inglesa esperando o início da aula e jogando um pouco de Pokémon, e um moleque com quem eu nunca tinha conversado sentou do meu lado e ficou espiando. Ele disse que também gostava do jogo e que tinha um personagem que ninguém mais tinha: o Mew. Eu duvidei, óbvio, mas ele contou que tinha passado férias nos Estados Unidos, ido a um daqueles eventos e sido um dos sorteados para receber o personagem. Ainda um pouco incrédulo, pedi para ele levar o Gameboy na aula seguinte… ele levou, e não é que o moleque tinha mesmo o Mew?!

gameboy-link-cable
Jogando Pokémon via cabo Game Link

Coincidentemente, uns dias antes eu tinha lido uma dica em uma revista de games que ensinava a clonar pokémon, usando um truque com o cabo Game Link que gerava um glitch no jogo e duplicava o monstrinho transferido de um Gameboy ao outro. O truque consiste em desconectar o cabo do console emissor durante a transferência, no momento certo, impedindo que o console emissor salve os dados da transferência mas permitindo que o console receptor conclua o processo – só que tem um porém: se o truque for feito de maneira errada, o glitch pode deletar seu jogoEu já tinha testado essa dica com aquele amigo meu do prédio e sabia que era possível fazer! Acabei convencendo o garoto da Cultura Inglesa a me deixar clonar o Mew dele.

Na aula seguinte eu estava munido com o cabo Game Link e confiante que conseguiria repetir a dica da revista e copiar o monstrinho lendário para o meu jogo. O moleque estava pálido e suando frio quando peguei o Gameboy dele! Comecei o processo de transferência dos pokémon e, no momento que eu puxei o cabo Game Link, posso jurar que o coração do garoto parou por 1 segundo. Ele estava com os olhos arregalados! Mas tinha dado tudo certo, e agora eu também tinha o Mew. 😀

Infelizmente, depois de tantos anos sem jogar Pokémon (porque já perdi o interesse há muito tempo), a bateria do meu cartucho perdeu a carga e meu jogo foi apagado. Mas ao menos cheguei a transferir o Mew para o Nintendo 64, através do acessório Transfer Pak que veio junto com o jogo Pokémon Stadium, e esta é a única lembrança que restou e também a única forma de confirmar a minha história – história que, até hoje, eu acho incrível.

O Mew, registrado na minha ID 28017, em Pokémon Stadium
O Mew, registrado na minha ID 28017, em Pokémon Stadium

Até dá para pegar o Mew de novo, mas pelos meios “ilegais”

Verdade seja dita, existem sim outras maneiras, embora menos fantásticas, de conseguir o Mew, explorando um glitch dentro do jogo (embora eu nunca tenha testado), hoje conhecido como Mew Glitch. Mas cara, lá em 1999 não se falava em glitch e, mesmo que alguém já tivesse descoberto esta falha no jogo, a história não se espalhava na velocidade que se espalha hoje, com a internet. O glitch só foi divulgado em 2003 e eu mesmo só fui ouvir falar dele anos mais tarde, quando já nem me interessava mais pelo jogo.

Este glitch pode ser gerado de dois jeitos: o jeito fácil, usando um dispositivo de cheats encaixado no slot do cartucho para manipular sua programação, como o Gameshark, Game Genie ou Action Replay e simplesmente adicionando o código correto na interface; e o jeito difícil, executando uma série de ações específicas dentro do próprio jogo, sem o uso de qualquer acessório extra, mas manipulando a memória do cartucho para fazer o Mew aparecer em um encontro aleatório. Na internet há toneladas de tutoriais de como gerar este glitch, mas como eu acho mais fácil assistir alguém fazer do que simplesmente ler os passos, compartilho um vídeo mostrando o passo-a-passo:

O glitch acontece, como comentei, manipulando a memória do jogo, mais especificamente em uma seção de doze bytes, contendo as informações do último Pokémon contra quem você batalhou. É a combinação das informações de cada byte nesta seção que vai dizer ao jogo que o próximo encontro aleatório será com Mew. O motivo de o glitch ser iniciado com o Gambler na Route 8 (se ainda não viu o vídeo, veja para entender) é que este treinador é um personagem de “longo alcance”, isto é, ele surge na maior distância possível entre você e a borda da tela do console. Só que o tempo que o jogo leva para desenhar o sprite do treinador na tela (que por padrão é carregado sempre olhando para baixo) e coloca-lo na posição correta (olhando para cima) é a quantidade de frames necessária para que o menu Start possa ser iniciado e quebre a programação, gerando o glitch. Você deve fugir (usando o Fly) para enfrentar o treinador Youngster porque este possui um pokémon com o número de Special stat correto para alimentar a seção de bytes. Depois da luta contra o Youngster, você terá os seguintes valores hexadecimais:

8E 11 00 3C 00 1E 00 1D 00 1C 00 15

O primeiro byte (8E) é o mesmo para todas as batalhas. O segundo byte (11) é referente ao level do pokémon inimigo (no caso, o do Youngster). Os bytes seguintes são os stats do inimigo, como HP, Attack, Defense, Speed e Special. O último byte (15) que é realmente importante, porque é ele quem vai definir que o monstrinho a aparecer durante o próximo encontro será o lendário Mew!

Vale comentar que a seção de doze bytes da memória (descrita acima) está rodeada por oito bytes adicionais de cada lado, todos com valor 07. Por alguma razão, o jogo empresta o último byte da seção (15) para usar como identificador do Pokémon inimigo e o byte adicional (07) para seu nível. Como o último treinador que você enfrentou antes do fim do passo-a-passo foi o Youngster, estes bytes serão 15 e 07 e, como o identificador hexadecimal do Mew é 15, você enfrentará no encontro aleatório um Mew nível 7. Ao fim da luta, o cartucho entende como evento encerrado e o menu Start volta a funcionar.

O que eu mais gosto em tudo isto é que alguém se deu ao trabalho de compreender a sequência numérica dos bytes e estabelecer uma ordem de regras que manipulem esta sequência da maneira correta. Como eu disse, é mais fácil fazer isto com um Gameshark mas, convenhamos, não é tão emocionante! Vou pegar meu Pokémon Red, iniciar um novo jogo e capturar o Mew, pra recordar como foi ter o monstro lendário na infância.

3 comentários sobre “Como eu consegui o Mew, no Pokémon Red, em 1999

  1. Maravilhoso! Provavelmente, através dessa estratégia, que se explica na “quebra” da programação e o próprio uso dela para conseguir o Mew, possa ser feita para conseguir todos os outros pokémon. Eu pretendo consertar o meu Game Boy Color e voltar a jogar a Versão Amarela pra tentar capturá-lo, embora eu tenha o Game Shark. Legal é legal.

    Curtir

    1. Sim, de fato é possível manipular o código para encontrar qualquer um dos 151 Pokémon usando a mesma lógica, conhecendo seus valores hexadecimais e os Special stats. Se você inicia o jogo com o Charmander, poderia usar o glitch para conseguir o Squirtle e o Bulbasaur; ou então os Pokémon que só se consegue através do cabo Game Link, caso você não tenha alguém pra trocar os bichinhos. Boa sorte com seu Gameboy, e não esquece de salvar o jogo antes de tentar reproduzir o glitch. 🙂

      Curtido por 1 pessoa

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s