The Legend of Zelda completa 30 anos

É muito bobo gostar do fato que um dos meus games favoritos tem a mesma idade que eu? Lançado no Japão em 21 de fevereiro de 1986, The Legend of Zelda para NES inaugurou o que se tornaria uma das mais influentes séries de todos os tempos.

Zelda1LinkEmbora tivesse jogado várias vezes no emulador, para falar a verdade, eu só terminei The Legend of Zelda quando comprei-o no Virtual Console do 3DS em 2013. Recomendo a todo fã de video games pois é muito divertido, desafiador, as dungeons são complexas e o mapa é gigantesco, além de a história e mecânica clássicas revelarem o que mudou e o que não mudou no design da série ao longo das últimas três décadas.

Você sabia?

A Nintendo produziu um remake em 16-bit do jogo original nos anos 90, exclusivo para o Satellaview, um acessório para Super Famicom que era uma espécie de modem via satélite por onde os japoneses baixavam games; alguns só estavam disponíveis para jogar durante horários específicos da programação do Satellaview, porque o gameplay era acompanhado por atores que narravam a aventura e davam dicas dos jogos.

Legend-of-Zelda-NES-prototypeEm 2012 um protótipo de The Legend of Zelda, que datava de meses antes do lançamento do jogo nos Estados Unidos, recebeu o título de cartucho mais caro de todos os tempos. O valor final da venda não foi divulgado, mas o preço que o vendedor colocou no Ebay para quem decidisse comprar imediatamente (em vez de participar do leilão) era de US$150.000!

Como conheci a franquia

Meu primeiro contato com Zelda foi no Super Nintendo, em uma das vezes que eu escolhia, pela capa, um jogo na locadora para conhecer. Era confuso, extenso e eu sentia que andar e matar inimigos não me levava a lugar nenhum – eu não entendi o conceito do jogo na época e como só jogava 2 horas por semana na locadora (eu não tinha SNES em casa) e tinha que dividir o controle com meu irmão, achei que não valia a pena jogar aquele game.

Uns anos depois comecei a ver por aí estas imagens de um herói de túnica verde com uma espada e escudo e fiquei fascinado, afinal de contas, que garoto de 12 anos não gosta de lutas de espada e aventuras medievais? Eu lembro que foi na edição nº2 da Nintendo World, de 1998, que li sobre Ocarina of Time e não demorou muito para que o dono da locadora tivesse um exemplar do jogo, que cheguei a levar para casa uma vez – naquele final de semana que passei com o cartucho foi que eu de fato descobri The Legend of Zelda.

Evolução visual

À beira do lançamento de sua 19ª aventura oficial (vamos ignorar o CDi, né gente), a série The Legend of Zelda evoluiu muito visualmente, é uma das franquias que a Nintendo mais se dedica em manter a qualidade alta, mas sem perder a essência do herói de túnica verde, espada e escudo. Veja na galeria como o Herói do Tempo evoluiu de 16 pixels de altura para a alta definição:

A sensação de explorar cavernas e calabouços, resolver puzzles, sair em missões e massacrar monstros e demônios tem o poder de te fazer se perder na aventura, reconectar-se com sua criança interior e te lembrar da primeira vez que pôs as mãos no controle e se perdeu nas vastas terras de Hyrule. A uma das minhas franquias favoritas, feliz aniversário.

Flávio

Me formei na faculdade de Design em 2007, sou apaixonado pela minha profissão, por rock'n'roll, cozinhar, jogar video game, por Star Wars e hamburger. Colaborador do Greenpeace e Médicos Sem Fronteiras.

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s