Overcooked (Ghost Town Games, 2016) foi um daqueles games que eu nunca tinha ouvido falar até que, um dia, na casa de amigos no Rio de Janeiro, joguei e fiquei apaixonado imediatamente. Ele se passa em um mundo apocalíptico, governado por um rei cebola, que está sendo atacado por um monstro de spaghetti gigante com fome insaciável; em um plano desesperado, o rei envia você e os outros chefs em uma viagem no tempo, para que aprendam a preparar os melhores pratos, e retornem ao presente com alguma chance de alimentar – e derrotar – o terrível monstro.

Não tente entender a lógica por trás de Overcooked, porque a história do jogo é só uma desculpa boba, para horas e horas de diversão frenética e muito estresse com seus amigos gerenciando uma cozinha; inclusive, a forma definitiva de jogar é o modo multiplayer co-op local com 4 jogadores. Nele, a equipe precisa preparar e servir o maior número de pratos dentro do limite de tempo, sincronizando tarefas simples como cortar, fritar e lavar, todas cumpridas com o apertar de 1 botão. Mas não pense que, por serem simples, fazem do jogo mamão com açúcar – na verdade, o andamento acelerado de Overcooked é o que torna-o um dos melhores e mais desafiadores couch co-op que já joguei!

Todo processo precisa estar bem alinhado, e um ingrediente desperdiçado ou refeição pronta sem prato limpo para servir, pode pôr tudo a perder. Isso faz com que, sem perceber, você e seus amigos comecem a gritar um com o outro, xingar e dar ordens… é caótico e divertido mas, se um ou outro jogador acabar tomando as rédeas da equipe, dá pra começar a ganhar 3 estrelas nas fases.

Falando em fases, elas são o destaque em Overcooked. Agrupadas em temas variados, que vão de uma simples cozinha a um food truck em movimento, de uma geleira a uma estação espacial, as fases apresentam enorme variedade em level design, este o maior responsável pela apimentada na dificuldade do jogo; cada fase é em uma cozinha diferente, e cada cozinha apresenta um novo desafio ou variação do anterior. Isto é muito bom, já que as mecânicas que envolvem preparar os alimentos praticamente não mudam, mesmo que os ingredientes em si sejam diferentes.

Mencionei que Overcooked pode ser jogado localmente (não há modo on-line) com até 4 jogadores, e você precisa saber que, para isto, não são necessários 4 controles – apenas 2 já bastam, porque eles podem ser divididos no meio, com cada jogador usando 1 analógico e 2 botões de ombro. E novamente, jogar com amigos é a melhor opção. Infelizmente, o game fica sem sal no modo single player, porque você perde a melhor parte da experiência quando joga sozinho… a dinâmica muda completamente, a energia e o frenesi são obscurecidos pelo tédio e a vontade de jogar passa.

Overcooked-Hot

Sempre fui fã de jogos de cozinha, sendo Order Up! (SuperVillain Studios, 2008) meu favorito absoluto. Mas Overcooked não é só um jogo de cozinha… ele é um jogo de ação, comunicação, estratégia e habilidade, a mistura fina que torna-o um grande game cooperativo, sem perder o charme e, principalmente, a amizade (mesmo que seu colega ateie fogo à bancada).

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s