Embora distantes de sua Era de Ouro, os arcades ainda atraem fãs de videogames e as empresas mantém um ritmo desacelerado porém constante de lançamentos e novidades. No último domingo foi aniversário do meu irmão e reunimos os amigos para umas horas de diversão eletrônica em um dos poucos fliperamas que insistem em ficar abertos em São Paulo.

Lá eu conheci Space Invaders Frenzy (Raw Thrills Inc., 2017), a 13ª e mais recente iteração da icônica franquia criada pela Taito em 1978. As regras são as mesmas do jogo original: elimine as hordas de invasores espaciais e proteja seus canhões, porém há novas mecânicas, que tornam o game super emocionante! Space Invaders Frenzy pode ser jogado em dupla; cada jogador controla um canhão, que permite atirar em qualquer direção, e não somente para cima como sempre foi nos jogos da franquia; nem todos os inimigos seguem o padrão clássico de movimento, surgindo em partes diferentes da tela e, inclusive, em tamanhos diferentes; há bombas e power-ups que mudam a jogabilidade e podem ser decisivos na partida; os canhões possuem feedback háptico que, acompanhados de subwoofers nos assentos, dão mais volume aos tiros e explosões.

Talvez o que chame mais atenção, porém, é o enorme painel de LEDs que serve de tela do jogo. Medindo 2,97 metros de altura por 1,73 metro de largura, e contendo mais de 65 mil LEDs individuais, o painel faz dos gráficos de Space Invaders Frenzy mais brilhantes e chamativos como nunca foram. Só a dimensão da máquina já é motivo para querer encarar o desafio!

Dependendo do seu nível de habilidade, as partidas podem durar o suficiente para fazer valer o preço. Minha dica é subverter o objetivo do game e jogar cooperativamente, não pelo high score, mas sim para defender seus canhões e passar pelo máximo de fases possíveis, jogando juntos.

Não é todo dia que a gente se diverte em um fliperama, mas certamente Space Invaders Frenzy entra para minha lista de games obrigatórios nas próximas visitas, junto com The House of the Dead (Sega, 1997) e Daytona USA (Sega, 1994).

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s