Uma divertida viagem pela história dos PCs em Progressbar95

A gente, quando é criança, brinca com tudo. Um computador, então, é um poço sem fundo de diversão! Quem nunca se divertiu com janela travada no Windows, planilha de Excel e barra de carregamento (já pousou o mouse no fim da barra só pra ter certeza de que a instalação não tinha travado, né?), além das clássicas aplicações como Campo Minado e Paciência, claro. Eram tempos mais simples. Progressbar95 (Spooky House Studios, 2019) pega tudo isso e transforma em um game sem igual. Nele, elementos da interface, janelas, botões e ícones viram elementos do jogo e são tantos detalhes, que descobrir todos é uma aventura por si só.

Como o próprio nome sugere, você começa com um PC do início dos anos 90. Vencer cada fase lhe dá pontos que permitem comprar peças de hardware e atualizar diferentes componentes do PC, sendo que alguns são pré-requisitos para instalar sistemas operacionais mais modernos, como o Progressbar Wista e o BarOS 10. Conforme avança, você também libera novos games que te levam mais fundo em uma toca de coelho nostálgica pela história dos computadores pessoais.

A mecânica básica do game, bastante simples, revolve coletar os fragmentos azuis de dados, enquanto eles caem do topo da tela, até preencher 100% da barra de carregamento. Ao mesmo tempo, você precisa desviar dos fragmentos cor-de-rosa, laranjas e cinzas, além dos fragmentos vermelhos de vírus – que causam tela azul imediatamente –, de janelas pop-up que pulam na tela, dead pixels, bugs, panes elétricas e etc. Se, ao final da fase, você tiver coletado alguns bytes errados, é possível desfragmentar o disco e resolver os problemas!

O jogo também oferece vários minigames que requerem habilidade e lógica, como por exemplo ProgressSweeper, sua versão de campo minado, mas com algumas surpresas; Progress Defender, um divertido tower defense em que você deve proteger o software dos ataques do clips do Word; Progress Commander, em que você deve reagir no tempo certo, para empilhar os códigos na ordem correta; Progresstein 3D, um clone do clássico FPS da id Software; Progressbar XL, um labirinto de números cujo objetivo é levar a célula azul ao fim da planilha; Bin, que transforma a lixeira em um bichinho virtual que você precisa alimentar e limpar; entre outros. Talvez o minigame mais nostálgico para aqueles que, há mais de 35 anos, exploravam as entranhas dos primeiros computadores pessoais, é um simulador do MSDOS. Isso porque, nesse minigame, os mais aficionados vão descobrir cheats e bônus nas linhas de código, jogar quebra-cabeças codificados em sistema hexadecimal, e explorar a programação do sistema.

Há inúmeras possibilidades de customização. Conforme avança nos upgrades de cada sistema, você libera novos wallpapers, widgets, temas e até trilhas sonoras, e deve notar que surgem sutis novidades nas telas de inicialização e na interface. O sound design é essencial para uma experiência verdadeiramente imersiva. Cada atualização do jogo vem acompanhada também de mudanças no som, e é a precisão do barulhinho do clique do mouse, os sons de abertura e fechamento das janelas, o tom de alerta de erro do sistema, os sons clássicos de ligar e desligar o computador e até o barulhinho de fundo do HD, que juntos transportam o jogador o mais próximo possível das experiências da infância e trazem uma gostosa nostalgia.

Progressbar95 recompensa a curiosidade, reações rápidas, pensamento lógico, reconhecimento de padrões e a exploração. Se você também cresceu com PCs nos anos 90 e fuçava em tudo do sistema operacional (até deletar o DOS, como eu fiz uma vez), pode ter certeza que vai se divertir. Eu consigo me enxergar garoto no quarto, de luzes apagadas, investigando as profundezas do Windows, ao jogar o game. Fica claro o amor dos desenvolvedores pelos sistemas de antigamente, no cuidado com os mínimos detalhes, e certamente colocará um enorme sorriso no seu rosto.

P.s.: para uma dose extra de nostalgia, clique neste link para jogar Upgrade Complete! (ArmorGames, 2009). O jogo é em Flash e você precisará instalar um player dedicado, mas vale a pena!

Flávio

Me formei na faculdade de Design em 2007, sou apaixonado pela minha profissão, por rock'n'roll, cozinhar, jogar video game, por Star Wars e hamburger. Colaborador do Greenpeace e Médicos Sem Fronteiras.

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s